Economia

Oito cidades do semiárido baiano recebem R$3,8 milhões para investimento na agricultura familiar

Por: Divulgação/SDR

Oito cidades do semiáriado baiano receberão cerca de R$ 3,8 milhões do Governo do Estado para ampliar a capacidade de produção das famílias agricultoras. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), serão beneficiados produtores de Casa Nova, Sobradinho, Juazeiro, Campo Formoso, Senhor do Bonfim, Ourolândia, Mirangaba e Capim Grosso.

Ainda segundo a SDR, o investimento é resultado dos convênios firmados com as prefeituras destes municípios, para a ampliação das ações do projeto Pró-Semiárido e atendimento a mais famílias do campo.

“Esse acordo de cooperação com as prefeituras se insere na estratégia de consolidar a sustentabilidade do projeto, para a manutenção das atividades iniciadas. A gente espera que as prefeituras internalizem a metodologia, os valores e propósitos do projeto, no sentido de cada vez mais garantir a autonomia dessas comunidades”, explicita o coordenador geral do Pró-Semiárido, Cesar Maynart.

Os convênios preveem atividades na área produtiva e social, nas 36 comunidades selecionadas, dos oito municípios. O valo deve ser investido em infraestruturas, que garantam o aumento da capacidade de produção das famílias agricultoras, a diversificação de cultivos, melhoria da segurança alimentar e nutricional e, consequentemente a renda dessas famílias. Além disso, as comunidades terão acesso a formações e acompanhamento na gestão de recursos; ações de acesso a mercados e outras políticas públicas e o fortalecimento institucional.

Para Marcio Passos, presidente da Cooperativa de Empreendedores Rurais de Cacimba do Silva e Região (Coopercar), de Juazeiro, a expectativa é que a ação contribua com o fortalecimento e aprimoramento da produção e comercialização dos produtos: “Esse convênio está chegando numa hora que a gente precisa. Nós temos a produção e com a chegada desses convênios chegam também as unidades de beneficiamento e a queijaria. Isso ajuda a nós produtores, além de produzirmos bem, conseguirmos vender, porque temos estrutura. Isso vem melhorar e fortalecer nosso produto da agricultura familiar”.

A parceria une associação comunitária, prefeitura e Governo do Estado e como contrapartida, são as prefeituras as responsáveis pela contratação do jovem Agente Comunitário Rural (ACR) e do profissional que vai fazer o acompanhamento das famílias, por meio da Assistência Técnica Continuada (ATC).

(Fonte: BNews)

To Top
%d blogueiros gostam disto: