Polícia

Estudante é morta e namorado é preso após denúncia do próprio pai

Um rapaz de 19 anos foi preso no sábado (17) suspeito de matar a namorada a tiros e simular um assalto para encobrir sua culpa, diz a Polícia Civil do Rio Grande do Sul. A estudante de psicologia Joana Fabris Deon foi morta em Bento Gonçalves na madrugada do sábado.

Joana foi levada para o Hospital Tachini depois de levar um tiro no tórax. No dia, o namorado dela, Paulo Eduardo Scaravonatto, disse à polícia que a estudante havia reagido a um assalto na rua e foi baleada em seguida.

O caso foi registrado como latrocínio e o namorado foi liberado. Horas depois, o pai dele, contudo, foi até a delegacia e disse que Paulo seria o verdadeiro responsável pela morte de Joana.

A polícia então confirmou que havia sangue na casa do suspeito. Outras testemunhas reforçaram a possibilidade e a prisão preventiva do namorado foi decretada.

“O pai disse que não se tratava de um roubo e que era mentira a versão. Falou que o filho teria matado a moça. A partir daí, mudamos o delito para feminicídio e passamos a realizar a investigação, com perícia no local e nas imediações”, disse ao Uol Deise Ruschel, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher.

Ouvido de novo, o suspeito mudou a versão e disse que a arma estava na mão da namorada quando houve o disparo, chamando o caso de “acidente”. “Ele não confessou nada, mas disse que a vítima estava com a arma na mão e que aconteceu o que ele chamou de acidente. O pai deu bastantes detalhes de como foi a dinâmica e, a partir disso, entendemos que foi o rapaz que matou”, diz a delegada.

A arma usada, um revólver calibre 38, não tinha registro.

Joana namorava Paulo há apenas dois meses. A família dela não acredita que o tiro foi acidental. “A gente não acredita em acidente, mas deixaremos que a Justiça faça o seu trabalho”, afirmou Luiz Fabris, tio da jovem. (Fonte: Correio).

To Top
%d blogueiros gostam disto: