Política

Na UPB, Carlos Matos discute reforma do IR e dívida da Previdência

UPB aguarda posição do presidente da Câmara dos Deputados para dar encaminhamento a ações em conjunto com municípios do Nordeste

Mais de 60 prefeitos reunidos nesta segunda-feira (13), na União dos Municípios da Bahia (UPB), discutiram a necessidade de mobilizar com urgência o Congresso Nacional para evitar perdas aos municípios com a reforma do Imposto de Renda, aprovar o parcelamento em 240 meses da dívida previdenciária e uma nova alíquota patronal do INSS para as prefeituras. Na ocasião, o presidente da UPB, Zé Coca, comunicou aos prefeitos os informes da reunião realizada em Maceió, na última sexta-feira (10), com presidentes das associações municipalistas do Nordeste. Segundo ele, nesta terça (14), dois representantes escolhidos pelo grupo terão um encontro com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, em busca de apoio para a pauta municipalista.

“Essa reunião será fundamental para direcionar as ações do nosso movimento, porque se não houver o comprometimento de compensar as perdas da reforma do IR, votar o 1% a mais para o FPM e a previdência, nós vamos ter que mobilizar os prefeitos do Nordeste para acampar em Brasília, em uma grande mobilização. Um município como Jequié, perder R$12 milhões em receita, inviabiliza por completo”, exemplificou Zé Coca. Ele pediu que todos os prefeitos busquem contato com os seus parlamentares para “avisar e conscientizar” sobre a situação dos municípios.

Na reunião, os prefeitos e prefeitas relataram dificuldades em manter o equilíbrio fiscal dos municípios com os constantes bloqueios de receita e o rombo causado pela dívida previdenciária impagável. O vice-presidente da UPB, prefeito Quinho de Belo Campo, destacou que a mobilização dos prefeitos “é questão de sobrevivência”. O diretor da entidade, Marcão Cardoso, prefeito de Santana, apontou a importância de os presidentes de consórcios reforçarem a convocação dos prefeitos para mobilizar os parlamentares.

Os gestores dos municípios de Riachão do Jacuípe, Camaçari, Baixa Grande, Lagoa Real, Andorinha, Santo Estevão, Taperoá e Aiquara foram alguns dos que fizeram o uso da palavra para se comprometer com a unidade na luta a favor dos municípios. Nos próximos dias, os prefeitos aguardam uma resposta do Congresso Nacional para decidir por uma mobilização em Brasília, em conjunto com os prefeitos de outros estados do Nordeste. (Fonte: Ascom UPB)

To Top
%d blogueiros gostam disto: