Especial

Papa critica investimento em armas e pede mais comida e vacinas distribuídas

Líder da Igreja Católica fez apelo a presidentes de países durante encontro anual realizado nesta quinta

O Papa Francisco fez uma crítica ao comércio de armas no mundo. Na avaliação dele, isso é uma maldição para a humanidade e o dinheiro seria melhor investido com alimentação e vacinas, por exemplo.

“Menos armas e mais comida, menos hipocrisia e mais transparência, mais vacinas distribuídas de forma justa e menos armas comercializadas indiscriminadamente”, discursou o pontífice, em evento com líderes de países, nesta quinta-feira (7), segundo informações da Reuters.

Enquanto as campanhas de vacinação contra a Covid-19 avançam nos países ricos, as nações mais pobres encontram dificuldade para imunizar seus cidadãos. Mais cedo, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse que a vacinação global está “perto de falhar” por conta disso, já que os países de baixa renda possuem menos de 1% das doses disponíveis enquanto os países de alto ou médio-alto desempenho econômico concentram 75% dos imunizantes.

É diante desse contexto mundial que o papa pede mais atenção às necessidades básicas das pessoas ao invés de investimento em armas. “Exortemos inequivocamente que as armas sejam colocadas de lado e os gastos militares reduzidos, a fim de atender às necessidades humanitárias, e que os instrumentos de morte sejam transformados em instrumentos de vida”, clamou Francisco.

Segundo a Reuters, o encontro internacional onde o papa deu essas declarações ocorre anualmente, sendo organizado pela Comunidade de Sant’Egidio, sediada em Roma. Nesta edição estavam presentes líderes muçulmanos e judeus, cristãos e a chanceler alemã Angela Merkel.

O Papa Francisco fez uma crítica ao comércio de armas no mundo. Na avaliação dele, isso é uma maldição para a humanidade e o dinheiro seria melhor investido com alimentação e vacinas, por exemplo.

“Menos armas e mais comida, menos hipocrisia e mais transparência, mais vacinas distribuídas de forma justa e menos armas comercializadas indiscriminadamente”, discursou o pontífice, em evento com líderes de países, nesta quinta-feira (7).

Enquanto as campanhas de vacinação contra a Covid-19 avançam nos países ricos, as nações mais pobres encontram dificuldade para imunizar seus cidadãos. Mais cedo, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse que a vacinação global está “perto de falhar” por conta disso, já que os países de baixa renda possuem menos de 1% das doses disponíveis enquanto os países de alto ou médio-alto desempenho econômico concentram 75% dos imunizantes.

É diante desse contexto mundial que o papa pede mais atenção às necessidades básicas das pessoas ao invés de investimento em armas. “Exortemos inequivocamente que as armas sejam colocadas de lado e os gastos militares reduzidos, a fim de atender às necessidades humanitárias, e que os instrumentos de morte sejam transformados em instrumentos de vida”, clamou Francisco.

Segundo a Reuters, o encontro internacional onde o papa deu essas declarações ocorre anualmente, sendo organizado pela Comunidade de Sant’Egidio, sediada em Roma. Nesta edição estavam presentes líderes muçulmanos e judeus, cristãos e a chanceler alemã Angela Merkel. (Fonte: Último Segundo)

To Top
%d blogueiros gostam disto: