Esporte

Guto reforça busca por ‘bate-volta’ do Bahia para a elite

De volta à rotina do Bahia após fazer um curso na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o técnico Guto Ferreira deixou claro: a prioridade é o acesso à elite no final de 2022. Durante entrevista coletiva nesta terça-feira (11), ele destacou a Série B como a principal competição e projetou uma equipe em crescimento gradativo durante o ano.

“O principal objetivo é o acesso. Em 2016 eu falei que o importante não era como começa, e sim como termina. Não esperem um Bahia jogando o seu melhor [no primeiro semestre]. Se acontecer de conquistar, vai ser muito bom e não vamos deixar de brigar. O mais importante é o Brasileiro, o que vem pela frente. Nesse momento de reconstrução, outras peças estão chegando, e algumas que tinham um status diferente no plantel, passa a ser protagonista, tendo que performar. Esperamos que isso aconteça da melhor maneira possível”, disse.

O treinador destacou o desafio de recolocar o Bahia na elite. Vale lembrar que o Esquadrão de Aço nunca conseguiu um acesso imediato nas vezes em que foi rebaixado.

“Fiquei pelo desafio e pelo respeito que tenho pelo Bahia. A gente até comentava sobre os acessos que tive, o único que não foi bate-volta foi o Bahia. A gente espera conseguir com o Bahia”, indicou.

Questionado sobre como o Bahia vem trabalhando internamente por contratações, Guto Ferreira explicou que existe uma conversa entre todos do departamento de futebol para a tomada de decisão. O Departamento de Análise de Desempenho também é um colaborador, de acordo com o “Gordiola”.

“Estamos fazendo um trabalho onde a gente discute entre todos da comissão e direção. A gente chega a colocar nomes, mas é avaliado por todo mundo. Quando existe, dentro da avaliação, a confirmação da maioria, a gente busca. Existe um estudo feito pelo Dade com histórico e características. A gente tem bem definido o que queremos. Quando o jogador chega próximo disso, a gente busca trazer. O mercado está difícil, a concorrência é grande, o Bahia é um dos gigantes da Série B, mas concorre com equipes da Série A. Mas o importante é que quem está vindo, está disposto a lutar para que o Bahia atinja seus objetivos”, relatou Guto, que também justificou as contratações dos volantes Rezende e Willian Maranhão.

“O principal problema do Bahia, na minha concepção, foi o meio-campo. Não era um meio-campo de força. Tinha equilíbrio com Thaciano. Quando saiu, não se encontrou a peça. Foi um meio-campo muito leve e isso atrapalhou muito os resultados. Desses volantes, a tendência é de aproximação de um ou dois, talvez três. O Mugni foi adaptado, começou bem e no final tendo dificuldades. Os jogadores que estão vindo tem a características que precisamos. Independente da posição, o meio-campo é o coração da equipe e é preciso força”, pontuou.

O Bahia começa a sua caminhada na nova temporada contra o Bahia de Feira no próximo sábado (15), às 16h, na Arena Cajueiro, pela primeira rodada do Campeonato Baiano.

Por Bahia Notícias

To Top
%d blogueiros gostam disto: