Educação

Das 10 redações nota 1000 do ENEM 2021, 7 estão no Nordeste

O total de redações com pontuação máxima no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda não foi divulgado oficialmente.

Mas desde quando saíram os resultados individuais, alunos e alunas têm exibido com orgulho seus boletins. O fato é que nestas postagens há predomínio de estudantes do Nordestinos. Veículos regionais registram um “balanço parcial” com 7 redações da região entre as 10 com nota máxima. O Inep ainda não divulgou os dados oficiais. Os dados finais serão publicados nos próximos dias.

Análise apressada? Sim. Estamos comparando casos individuais? Sim. Mas a nota de um punhado de alunos numa prova, com um desempenho de excelência, gera um movimento e incentivo em toda uma rede. Sabe-se da carência de políticas públicas no ensino público, mas não podemos simplesmente ignorar os fatos e pontos daqueles que se esforçam.

Alice Souza Moreira, da Bahia, estudou em escola privada, fez cursinho e se jogava nos livros em casa diariamente do meio-dia às 23h.

Foto: Arquivo pessoal

Cássia Aguiar, do Ceará, é medalhista em olimpíadas de Física e Química, entrava de manhã e só saía à noite do colégio particular em que cursou o Ensino Médio.

Três alunas, um mesmo curso

As três alunas de Pernambuco atribuem ao curso específico de redação as explicações detalhadas que possibilitaram o desempenho perfeito.

Giovanna da Silva Dias, 19 anos, conquistou mil na dissertação do Enem 2021 e também usará a nota para fazer Medicina. A estudante de Recife se dedicou mais ao exame em 2020, no 3º ano do ensino médio, alcançando 980 pontos, mas foi na última edição que aprimorou seu repertório e investiu em um preparatório.

Fernanda Quaresma, de 20 anos, natural de Iguaracy, fez o Enem 2021 com o objetivo de trocar de curso. “Não me identifiquei com o curso de Biomedicina. Gosto de Arquitetura e Design, mas posso tentar Medicina também. Tudo na UFPE, pois não quero sair de lá”, ressalta.

Como o tema da redação será “Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil”. Fernanda disse que, na introdução, citou a obra “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos, na qual os filhos do personagem principal são chamados apenas de “mais velho” e “mais novo”. “O fato dos meninos não terem nomes fazia com que eles fossem desumanizados no livro”.

Daiane Souza, de 20 anos, decidiu que queria fazer Medicina aos 13 anos. Por saber da necessidade que seria obter aprovação em uma universidade pública, a jovem de Limoeiro dedicou aos estudos para o Enem desde o início do ensino médio. A sua nota na redação do exame foi subindo ano após ano até chegar ao tão sonhado mil.

Estudante Fernanda Quaresma (à direita) ao lado da professora Fernanda Pessoa
Crédito: Curso Fernanda Pessoa

Giovanna, Fernanda e Daiane tiveram em comum na preparação para o Enem 2021 o curso de redação com a professora Fernanda Pessoa. Com turmas on-line e presenciais, a professora trabalha com os alunos aulas de Artes, Literatura, Gramática, Interpretação e Redação, conteúdo que pode ser aproveitado na produção textual e na parte objetiva do exame.

Criando um método próprio

Foto: Arquivo pessoal

Não só de cursinhos e turmas específicas é formada a preparação para o exame. Evely Lima, 20 anos, mostra que é possível tirar mil na redação do Enem estudando por conta própria e criando seu próprio modelo de correção.

“Eu procurava redações de Enem anteriores para me basear e às vezes elaborava meus próprios temas e modelos de redação”, afirma a estudante de Lagoa de Velhos, no Rio Grande do Norte. A jovem fazia de duas a três dissertações por semana, corrigia seus textos com base nas competências e ia aperfeiçoando a produção textual.

Dedicação e esforço são elementos a se considerar na equação do sucesso. Mas também é preciso avaliar as condições objetivas para aprender. Ensino regular em escolas de ponta, tempo livre para os estudos, apoio suplementar são benefícios que estão longe de ser universais.

To Top
%d blogueiros gostam disto: