Entretenimento

Cineasta feirense é convidado a produzir web série para a Netflix Brasil

De acordo com ele, o convite surgiu através do ator soteropolitano Alan Miranda, que atua junto com ele na Afro TV, um canal especializado em conteúdo negro.

O cineasta feirense Tiago Rocha comemora mais uma conquista em sua carreira como diretor de cinema. Ele foi convidado pela Netflix Brasil para dirigir a web série “Os Deraldos”, que já lançou o seu primeiro episódio nas redes sociais da plataforma de streaming: Youtube e Facebook.

Segundo informações publicadas no site Acorda Cidade, Tiago Rocha contou sobre como tem sido a experiência e o sentimento de participar de um projeto criado e produzido por baianos, além de ter ganhado a chance de mostrar a nível nacional o seu potencial artístico.

De acordo com ele, o convite surgiu através do ator soteropolitano Alan Miranda, que atua junto com ele na Afro TV, um canal especializado em conteúdo negro.

Foto: Arquivo Pessoal

“Através da Afro TV, em contato com o ator Alan Miranda, que é soteropolitano, ele fez essa apresentação de um projeto para as redes sociais da Netflix, “Os Deraldos”, e junto com a Afro TV, fizemos esse pitching (apresentação rápida de venda de filme). A Netflix curtiu a ideia desse projeto de contar a história de uma família preta soteropolitana, a partir da perspectiva dos filhos, que estão chegando à fase da puberdade, estão sempre em grandes questionamentos e são influenciados pelos conteúdos que eles assistem na plataforma”, relatou Tiago Rocha.

A web série é contracenada pelos atores Alan, Neide, Eloá e Artur Miranda, que interpretam eles mesmos em cada capítulo. A trama da família de Salvador traz um conteúdo bem humorado e se passa em casa.

Foto: Arquivo Pessoal

“A família do Alan Miranda são os próprios atores do elenco. A filha dele, Eloá Miranda e o Artur Miranda, que interpretam eles mesmos, e a esposa dele, que é a Neide, é um personagem onipresente, o público não a vê, mas ouve a voz dela e ela está sempre presente nas cenas de outros vãos da casa, contribuindo com a trama. E isso é legal, a gente ver uma família sendo ela mesma, embalada pelas reflexões que as crianças fazem com base nos conteúdos que elas assistem na Netflix e sempre colocam o pai para explicar coisas, que às vezes ele acha que sabe mais, mas os meninos sabem mais do que ele, e isso gera um conflito, sempre muito divertido. Nas preparações do elenco, temos a família toda ali ensaiando junto”, contou.

Atuando como diretor das cenas, Tiago Rocha destacou que a parceria com a Netflix tem sido muito proveitosa. A web série tem seis episódios no total e coloca em destaque também a produção nordestina.

“É uma troca muito legal, a gente tem uma equipe profissional e técnica que acompanha cada estágio da produção, e a gente se sentiu muito seguro nessa troca de contar essa história dentro da nossa perspectiva, mas muito pautado no que já estava presente nas redes deles. Vale ressaltar que esse conteúdo não é para a plataforma geral, mas sim para as redes sociais da Netflix: Youtube e Facebook. Então é uma série com seis episódios, a gente já lançou o primeiro, e essa série vai continuar sendo alimentada aí nas redes, estamos muitos felizes com os números também, de como o público está engajando com este conteúdo, que só tende a crescer e dar força à produção nordestina, fora do eixo Rio-São Paulo de audiovisual, que carece de novos projetos como esse, que valorize a cultura local, que coloque pessoas pretas em destaque, famílias que se parecem conosco, e essa é uma necessidade do audiovisual nacional. Esse projeto já é um grande sucesso e que traz muita representatividade”, salientou.

Foto: Arquivo Pessoal

Para ele, a produção de conteúdo negros por pessoas que são do Nordeste inspiram outros jovens a seguir o mesmo caminho que ele traçou, em busca do sonho de contar histórias através do teatro e do cinema.

“É muito bom contribuir e estar participando desse projeto, construir essa narrativa com o Alan Miranda, que é incrível. Me dá muita alegria saber que posso estar inspirando outros jovens que tem potencial. Eu tinha muita vontade de ir para fora do Brasil, de estudar e conseguir fazer isso, e eu sei que muitos jovens se inspiram na minha jornada. E eu quero continuar fazendo isso, representando minha cidade, contando histórias, onde quer que elas sejam exibidas. A gente sabe que é furar uma bolha, falar com milhões de pessoas que acessam as redes sociais da Netflix Brasil, e principalmente com a narrativa que a gente está trazendo. Quero convidar a todo mundo para acompanhar “Os Deraldos”, no Youtube ou Facebook. Já temos um título lá, que é o “Eloá voltou as 15”. Tem muita coisa, muita comédia. É como se fosse uma telenovela, bem divertida, para a família sentar e assistir. No momento não temos outros projetos, ainda estamos com a série em lançamento”.

O jovem feirense relembrou ainda que começou a sua trajetória fazendo teatro na igreja, participando de espetáculos teatrais e musicais. Proveniente de uma família artística, onde ele e os irmãos sempre foram incentivados pelos pais a se envolverem com a arte, através de instrumentos musicais e o canto, Tiago sempre gostou de produzir textos, estudar e encenar. A partir disso, quando teve oportunidade, buscou uma vaga na Academia de Cinema de Nova York e ao finalizar seus estudos, voltou para Feira de Santana a fim de mostrar a sua arte.

“Sou de Feira de Santana, do bairro Santo Antônio dos Prazeres e já produzi alguns filmes. Aqui em Feira, produzi o filme “Porque eu te amei”, que ficou em cartaz no cinema, o musical “Sem Regras” algumas webs séries, também já participei como ator de algumas produções de cinema no Brasil e Estados Unidos, e estamos sempre construindo, fazendo, se inovando e reinventando, contando histórias. Eu acho que com certeza o filme “Porque eu te amei” foi um grande marco na minha carreira, foi a primeira produção que tive a oportunidade de realizar desde que eu voltei da escola de cinema nos Estados Unidos, eu fiz a Academia de Cinema de Nova York. Foi um processo longo, a gente foi aprovado em um edital do Pró-cultura, e fizemos esse filme de baixo orçamento, mas que teve uma relevância muito grande, impactou muitas pessoas. É um trabalho que tenho muito carinho de relembrar e rever.”

Além de ator e cineasta, Tiago Rocha também tem sua formação o curso de letras com inglês, e mantém um curso paralelo aos seus trabalhos como diretor.

“Hoje eu não estou mais em sala de aula, hoje tenho um curso de inglês com aulas gravadas e as pessoas entram na plataforma, assistem, tem material e atividades prontas. Então neste exato momento alguém está aprendendo comigo. Quem quiser me acompanhar pode acessar o Instagram @eusoutiagorocha, e estamos no Tik Tok e Kaway, com esse título também”, finalizou.

Por Acorda Cidade

To Top
%d blogueiros gostam disto: