Política

“Caso Agerba” – Diálogos apontam acertos dentro da Assembléia Estadual

Um extenso diálogo gravado pela Polícia com autorização judicial, dá pistas sobre a suposta tentativa de suborno a empresários de ônibus intermunicipais por parte de ex-dirigentes da Agerba tendo à frente Antonio Lomanto Neto.

O material, colhido com exclusividade pela Tribuna da Bahia, se reverte num emaranhado de códigos interpretados pela cúpula da Secretaria de Segurança Pública como sendo conversas entre ex-dirigentes da Agerba, empresários e políticos ligados ao PMDB.

Num primeiro momento, ainda no início deste mês, é interceptado, através de escuta, o diálogo travado entre Ana e Anita – uma delas reconhecida como empresária do ramo de transporte intermunicipal- e que diria respeito ao pagamento de propina acertada (a data não é revelada) para a exploração de linhas sem licitação pública. Os grampos são mantidos oficialmente até o dia 17 de novembro.

Nele, Anita diz que o “Chefe da Irmana” outro dia veio buscar R$ 400.000,00. Margo (quem seria?) pergunta se é o chefe dela? Anita diz que é “Da Irmana”, que não se deve falar mais nada, mas não é para ela não, é para o partido e para a Familharada, mas quem veio não foi ele! Anita diz que isso não foi nada do que foi prometido, pois tardou muito e findou em despesas, que Anita não contava.

Anita diz que argumentaram que tiveram umas coisas… Anita diz que perguntou que coisas? Anita diz a Margo que são todos “um bando de salafrários!” Anita diz que “quem comprou como é rico, e Anita saiu do processo, teve que acertar devido ao Processo trabalhista todo, para não ficar com problemas”.

As suposições policiais recaem, além de Lomanto Neto, ao deputado Ronaldo Carletto (PP), dono da empresa Rota, de Itabuna e cujo irmão Paulo acabou sendo preso e solto no mesmo dia como os demais envolvidos no caso, o presidente do PMDB, Lúcio Vieira Lima e/ou o secretário municipal Almir Melo, identificados como “gordos, gordinhos”.

O TMC intercepta através do qual Anita travou os diálogos acima foi cancelado pela própria, que passou a utilizar o TMC de nº (71) 8798-3811, cadastro em nome de Maurício Penas Reis, CPF 938.620.085-68, com endereço cadastrado na Operadora de telefonia móvel como sendo na rua Lafayete Coutinho, n° 3 – Comércio, Salvador – BA, CEP 40.015-160, no qual se interceptou a continuação da cobrança de Anita, conforme diálogos abaixo transcritos:

Ana e Anita dialogam dia 4/11

“Ana pergunta se Anita pode ir para Assembleia para encontrá-la. Anita diz que hoje não pode, não tem como. Ana fala que tinha um compromisso com Anita que vencia ontem. Anita fala que sobre este compromisso o que acertou com Paulo foi outra coisa, e ficou estabelecido entre ela (Anita), Paulo e Zé Cerqueira que todo dia primeiro ele (Paulo) mandaria na casa dela (Anita), acertou que a pessoa que ele (Paulo) mandaria e ainda perguntou se teria problema e Paulo disse que para ele que não.

Anita fala que na Assembleia fica complicado. Ana pergunta como Anita gostaria de fazer. Anita diz que agora não ta vendo nem como fazer. Ana pede para ela ir no Barbacoa agora meio dia. Anita fala que não pode e tem consulta para Betinho hoje logo depois do almoço e depois tem um problema na Coelba que só ela pode acertar.

Com informações da Tribuna da Bahia

To Top
%d blogueiros gostam disto: